Casos Reais

Estávamos sumidas gente, graças à Deus muito trabalho e muitos acontecimentos por aqui rs… Hoje pensei num tema que a gente sempre envolve nos nossos atendimentos: a nossa história e os nossos valores. Não somos só uma equipe que arruma véus e monta docinhos, somos muito mais que isso…

Todo mundo que eu conheço tem um caso para contar, e todo mundo que eu conheço adora ouvir um caso também rs…
Nestes quase 9 anos no mercado de eventos a gente já viu de tudo, desde coisinhas simples que podem estragar um dia que deveria ser lindo, até coisas deliciosas de se lembrar, que ficam na memória para sempre!
Num bate papo eu e a Vivi selecionamos 5 “casos” que nunca esqueceremos, para divertir (e alertar) o leitor:

O dia em que o vestido da noiva rasgou na hora da Clarinada!

Imagine você, a noiva na entrada da igreja, naquele anúncio que chamamos de clarinada (detalhe, esse anúncio dura no máximo 1min, 1:30)… Imaginou a cena? Nessa hora nossa única preocupação deveria ser olhar os últimos detalhes de cabelo, maquiagem e explicações da entrada, porém a noiva nota um certo “desconforto”, como se o vestido tivesse aberto algum botão…mas não, o vestido tinha rasgado mesmo! E o pior, era um “costas aberta”, sem a menor chance de deixar daquele jeito senão ele cairia nos ombros. Como a gente resolveu? Com uma boa dose “racional” de sangrue frio e aquele bendito kit de costura que a gente tem sempre à mão (graças à Deus haha)! Foi a costurada mais rápida da nossa vida. Um último detalhe: essa igreja era uma daquelas que não permitia nossa presença para não “atrapalhar” o cerimonial interno, porém a senhora que lá trabalhava entrou em desespero quando viu a cena e nos agradeceu muito pela ajuda! Atualmente eles até deixam a gente trabalhar melhor…rs

Mais uma sobre vestidos…

Num dos primeiros casamentos que a gente fez, a igreja era num local muito ruim para estacionar carros, e nós tentamos nos precaver em relação a essa questão avisando os padrinhos para chegarem cedo. Como muitos sabem, as igrejas não toleram atrasos de padrinhos, e por muitas vezes eles são até retirados do cortejo inicial caso se atrasem. Num dado momento a noiva (que já estava próxima da igreja aguardando sua entrada) me avisa que uma madrinha “não entrou no vestido” (Oi??), e por isso estava atrasada. Na minha ingenuidade dos meados de 2010, início de carreira mas com pensamento mais rápido que a razão disse: “fala para ela vir que eu dou um jeito!” (mal sabia ela que eu não tinha ideia do que fazer, mesmo sobrando boa vontade). Quando ela chegou, atrasada mesmo, falei para uma assistente minha: “vai lá e estaciona o carro do padrinho, para ele não se atrasar mais“, sem nem perguntar para assistente se ela sabia dirigir! A louca né? Mas graças a Deus ela sabia rs… E o vestido? Não me perguntem como, ele foi preso com uma fita tipo durex, e ficou perfeito! (graças ao Santo Protetor das Assessoras haha)

E falando em carros X igrejas:

Igreja é um local difícil para estacionar, isso é fato, ainda mais se há muitos casamentos no mesmo dia, porque acumulam convidados, flanelinhas, carros de noivas e gente passando (os curiosos ainda adoram ver noivas, que fofos!).

Teve um casamento que eu (já certificada que minha assistente sabia dirigir) falei pro noivo: “pára onde você está que a menina está indo te acudir senão você não entra no cortejo!“. Naquela altura acho que ele entregaria o carro até pro mendigo da igreja…hahaha.  Final feliz para todos nós!

O gringo e a gravata:

Casamento com convidados internacionais são uma diversão! Sempre me certifico de ter, entre minhas assistentes, alguma que fale inglês e/ou espanhol fluente. Isso é essencial para um casamento com convidados de outro país.

Num dos casamentos mais queridos que eu fiz, em determinado momento minha sócia me avisou no rádio que havia algo errado com o casal, eles estavam discutindo sobre alguém na festa que havia saído para tirar dinheiro para a gravata, e já era tarde da noite, num local meio termo sabe, daqueles que a gente não deve se arriscar. A verdade era que um Grego, cunhado da noiva, ficou sabendo da brincadeira da gravata e queria dar R$100 para o noivo nessa brincadeira. Algum “espírito de porco” não lembrou que poderia ser em dólar (coisa que o Grego tinha no bolso) e o coitado saiu atrás de um “ATM”, para tirar dinheiro, deixando os noivos apreensivos. O pior é que estávamos muito próximos da reentrada do casal e eles não queriam entrar sem ter certeza que o cunhado estava em segurança. Bem…nem preciso falar que começou aí uma verdadeira corrida digna de hollywood, e em menos de 5 minutos nós tínhamos o Grego de volta, com o dinheiro no bolso, feliz e contente. Os noivos foram avisados pelo rádio e entraram radiantes!

Como resolvemos isso? Acionamos os seguranças, os rapazes do vallet, e uma parte da nossa equipe para ajudar a encontrá-lo, depois emprestei do meu bolso o dinheiro e levamos ele de volta em segurança! Mais um final feliz! Ufa!

Ah! E se estão curiosos para saber se recebi o dinheiro de volta, a resposta é Sim! Veio junto de um grande sorriso grego e um “Obrigado” com sotaque! 😉

O dia em que fomos daminhas, duas histórias fofas!

Eu assessorei um casamento em que a noiva escolheu o avô, de 98 anos, para levar as alianças. Como é de praxe, perguntei se ele tinha condições de ir sozinho pelo tapete até o altar (na verdade a cerimônia foi num buffet, então era só o tapete mesmo rs…), e a resposta dela foi: “claro! Ele tem mais saúde do que nós haha!”.

Sim, ele era muito saudável, mas na hora da emoção minha gente, eu fui colocar o bom senhor no início da caminhada dele e qual não foi a minha surpresa quando ele disse: “não me larga não, vem comigo!” rs… Olhei para a noiva meio sem jeito e ela fez um gesto dizendo: “pode vir!” Foi demais, inesquecível!

Já a Vivi foi solicitada antecipadamente pela noiva, pois precisava de alguém para empurrar a cadeira de rodas da sua avó, porque ela não aceitava ser empurrada por ninguém que fosse da família. Claro que foi uma honra participar de um momento tão especial, e a Vivi (que chora por tudo), teve que se segurar para não chorar mais que a noiva…rs

Nossos dois minutos de fama! Dias inesquecíveis! ❤

ab9f6733-d454-4061-bcff-7f129418c43e
Vivi levando a avó da noiva, a pedido da família. Foto: Multiply.
378689_264451203617490_100001578369804_742027_1835055708_n
Cris acompanhando o avô da noiva, com a autorização da família. Foto: Alexandre de Santana

Enfim, estes são alguns dos momentos que a gente adora compartilhar nos nossos atendimentos, para divertir e contar aos nossos clientes o que também fazemos nos bastidores. E fazemos com muito amor, comprometimento, e a segurança de ter todos os detalhes (escolhidos por vocês casais) sob controle.

Quer mais histórias? Venha tomar um café conosco! Temos muito mais pra contar! 🙂

Beijo da Cris!

Anúncios